As lágrimas da traição

Eu chorava sem parar, dias e noites sem calar , por causa da sua traição, o ódio viveu em mim em um certo momento por causa de ti , mas mesmo assim não parava de pensar em ti e no amor que eu sinto por ti.
-As lágrimas da traição me causam dor porque até os meus sonhos erram para ti.
-As lágrimas da traição me destroem porque em toda vida eu confiei em ti
-As lágrimas da traição me fazem sofrer porque em toda vida eu só queria viver contigo, mas mesmo assim me traiste.
Eu não quero terminar a relação.
Mas não é por causa de vc me dizer que estás arrependida
Mas sim porque te amo , eu te dei amor e tudo que precisas ,Mesmo assim causaste uma traição que deu tanta dor e rancor , O presente da pessoa que me traiste pode ter tudo no presente mas nem tudo estará no futuro. No presente posso não ter nada, mas terá muita coisa no futuro,
” O presente pertence a nós , Mas o futuro vem de Deus”
Perdi a minha inocência quando ela foi-se embora.
Perdi a minha inocência no momento em que ligaram-me com aquela angústia. Talvéz eu não tinha que ir pra aquele apartamento, porque foi lá que perdi a minha inocência.
Perdi a minha inocência quando as nossas conversas começaram as esfriar, perdi a minha inocência quando tudo por nada era discussão, perdi a minha inocência quando o meu coração ficou abatido e não só, perdi a minha inocência ela falava de outros rapazes no momento que agente estava só os dois, perdi a minha inocência quando eu queria ficar e ela queria ir embora. Perdi minha inocência quando descobri que ela fingia que me amava tanto, perdi a minha inocência quando era pra dar um beijo da boca ela dava na testa, perdi a minha inocência quando descobri que ela não tinha o meu número em mente.
Perdi a minha inocência quando descobri que ela já não queria mais continuar.
A minha maior perca foi quando abri a porta daquele apartamento e vi as roupas jogadas ao chão e ela aos a maços com outro cara…foi aí que perdi a minha inocência.

Escrito por: Hortêncio Cury e Abiúd Nathan

Seguem a pagina e partilhem por favor

O meu melhor amigo

Não existia meu nem dele, tudo era nosso.

Assim era a nossa amizade, um não podia sair sem o outro.

Agente não tinha segredos um com o outro, metiamos sempre o prato a limpo.

Ele ia em minha casa sem algum problema, era sempre bem vindo, posso dizer ele é o outro filho que os meus pais ganharam, de igual modo eu em sua casa.

Ele é o cara mais chato, abusado, convencido, desordeiro e brincalhão que conheço.

Mais é uma pessoa super fixe, eu amo o meu melhor amigo.

A nossa amizade não se baseia em bens materiais, nem mesmo chatices.

Agente pode se chatear agora, mas depois voltamos a nos falar, tipo que não aconteceu nada.

Já não o considero melhor amigo, agora é irmão de outra mãe, sangue diferente mas do mesmo pai.

A gente já passou noites fora, pelo que me lembro, fui acompanha-lo na paragem pegar táxi, nem com isso ele conseguiu.

Então decidimos passar a noite em casa de um amigo meu, foi muito fixe, a gente riu bastante, e sem nos apercebermos adormecemos.

Eu fiquei triste por fazer uma brincadeira meio feia pra ele.

Foi no dia do seu aniversário, eu fingia que não queria mais falar com ele, e nem queria saber da nossa amizade, fingi que estava muito chateado com ele mas era tudo brincadeira.

Ele mandou-me várias mensagens mais eu não respondia, aquilo me magoava por dentro e magoava-o também, sabendo que o seu melhor amigo não queria mais falar com ele, ficou tão triste e que me mandou uma mensagem dizendo:

Amigos conversam quando algo tá errado

Depois de algumas horas revelei pra ele que estava brincando, e daí ele começou a sorrir.

Mais no fundo, lá bem no fundo eu achava que ele ainda estava triste, porque esperava passar o dia do seu aniversário comigo…o seu melhor amigo.

Depois disso agente voltou a ser como éramos antes, e aí as nossas conversas, brincadeiras, risadas fluíam mais, e hoje ele não é apenas um amigo que surgiu do nada, mas sim uma Dádiva de Deus.

Por isso eu digo…Te amo meu melhor amigo.

Abiúd Nathan

Todo o dia

Todo dia ela passava enfrente a minha casa.

Ela fazia de tudo pra chamar a minha atenção, me esculachava na escola, procurava sentar comigo nas aulas de ciências.

Mesmo assim eu não ligava pra ela.

Na hora do almoço sempre levava uma fruta pra mim, juntamente com um carinho especial.

Ela era linda para os seus olhos, mas pra os meus, ela era muito feia, era desajeitada, não se arrumava bem.

Todo dia eu tentava me afastar dela mais não conseguia, ela me cercava sempre.

Quando me apercebi das coisas ela não queria só a minha amizade, ela queria o meu amor.

Todo dia eu achava aquilo um absurdo.

Oque ela não tinha de linda, tinha de inteligente.

Num certo dia eu saí da escola com os meus amigos, ela aparece e disse-me:

– Jonathan queres estudar em minha casa hoje? Olhei pra ela ironicamente e afastei ela de mim, e os meus amigos começaram a zombar de mim.

A gente ia caminhando, e ela não desistia do convite.

Eu recusava na mesma e quando o meu amigo Ricardo notou que era demais, disse:

– Que menina mais irritante, pra piorar tá dentro de um fato macaco.

Todos eles meteram-se a rir dela menos eu, eu achei aquilo muito feio.

Ela saiu de lá a chorar e em seguida, fui ter com ela, mesmo assim não me queria por perto.

Todo dia tentava me desculpar mas era inútil, ela fugia de mim.

Numa terça feira vi ela entrando no balneário feminino, eu segui ela, e em seguida olhei bem nos olhos dela e disse:

– Peço desculpas pelo que os meus amigos fizeram com você.

Ela: Aquilo não foi nada.

Eu: Ok obrigado.

2 dias depois a escola decide organizar um concurso de poesias, a Kiyara decide participar, a Stefani( a popstar ) logo que viu a nerde participar também decidiu entrar no concurso.

Ela recitou a sua poesia e todo mundo gostou e só faltava a Kiyara, quando chegou a sua vez de recitar, ela respirou fundo e começou a recitar.

Todo mundo ficou calado prestando atenção e ouvindo a linda poesia da Kiyara.

Todo dia eu passava pela sua rua, mais não me ligava nenhuma, eu te olhava e você ficava, eu te queria e você não me quiz, eu chorei e você sorriu.

Eu fiquei tão triste ouvindo a poesia da Kiyara, nem sabia oque dizer, eu notei que ela me descrevia naquela poesia.

Ela saiu em primeiro lugar, ganhando um passeio pela cidade, um jantar romântico e só poderia levar uma pessoa.

Depois da linda poesia da Kiyara eu não parava de pensar nela, não sabia oque estava acontecendo comigo.

Todo dia eu ouvia de novo a poesia dela, eu havia gravado no meu celular.

Na aula de Português a professora perguntou se ela já escolheu alguém pra ir sair com a Kiyara mas ela disse que não havia escolhido.

Ela perguntou a classe se alguém queria sair com ela e ninguém aceitou, logo que notei a sua tristeza levantei-me e disse:

– Eu quero.

Ela ficou tão feliz, os colegas ficaram todos admirados com a minha reacção.

Depois de alguns dias a minha irmã levou ela para o cabeleireiro, mudou o seu visual, ficou muito linda.

Eu já nem a reconhecia mais, saímos juntos, jantamos foi muito bom, e de repente eu me aproximei e roubei um beijo nela, depois daí passamos a conversar todo dia.

Na escola ninguém lhe reconhecia mais, ela mudificou muito, ficou mais gira ainda.

Depois de algum tempo a gente passou a namorar.

E todo dia ela não parava mais de sorrir.

O toque de mãe

Mãe, palavra tão minúscula, tão simples e bonita.

Nem todos os tesouros agente encontra no fundo do oceano, ou no subsolo.

Existe tesouros que a gente encontra depois da nossa nascência e existe tesouros que já nos carregou desde o início.

Mãe é que nem tesouro encontrado no oceano, no subsolo, até mesmo no espaço.

Mãe é uma benção, uma Dádiva de Deus.

Nossa heroína de todos os tempos, nosso desejo bondoso, nosso olhar valente, nossa guerreira sem armas.

Nossas defensoras que não deixa ninguém fazer mal ao seu filho.

Ser mãe é ter a responsabilidade de garantir sempre o sorriso nos rostos dos filhos.

O toque de mãe, é saber lidar com as situações mais graves possíveis em que o seu filho se encontra.

As mães já sabiam que ter filho era uma das maiores dificuldades que uma mulher poderia ter.

As mães, passam fome só para nos alimentar, deixam de se apresentar bem para nos ver bonitos.

O toque de mãe é lindo, o toque de mãe é exuberante, o toque de mãe é sem palavras.

As mães nem sempre nos cuidam na riqueza, elas batalham para que não nos falte nada.

Seu amor incondicional, sem fronteiras, sem intrigas e sem mágoas.

Hoje eu dedico muito amor, paz, carinho, prosperidade, garra, força, saúde , dinheiro e bênção na vida de todas as mães do mundo.

Viva o toque de mãe…

Abiúd Nathan

O celular que nunca mais tocou

Eu achava que naquele instante o meu celular ia tocar.

Ficava a espera da ligação e da mensagem do meu amor.

Desde que me deitei esperando pela sua ligação, mas ela não ligava, mas eu não perdia a esperança, antes que ela me matasse ela tinha que morrer primeiro.

Passaram-se várias horas, minutos, segundos, mas nenhum sinal dela.

Tentei ver ela no meu Facebook, no WhatsApp, mas era inútil ela não estava activo.

Me perguntava se passava-se alguma coisa com ela, onde ela estaria aquelas horas, o que ela fazia naquele momento?

Logo em seguida comecei a pensar em montão de coisas, pensava se ela arranjou outro e me abandonou, será que ela desistiu de mim? Oque foi que eu fiz para ela desaparecer da minha vida, será que fiquei feio? Ou será que já não a tratava bem?

As lágrimas começavam a escorrer do meu rosto, não entendia absolutamente nada do que se passava.

Naquele momento eu só queria estar errado, não queria confiar nos meus pensamentos, queria esquecer tudo aquilo que vinha na minha mente.

Queria disfarçar que estava tudo bem mas nem com isso, as lágrimas paravam de cair.

Tentei me distrair um pouca, jogando Criminal Case, meu jogo predileto, mas eu não conseguia me distrair, eu só pensava no meu amor.

Limpei as lágrimas do meu rosto, e tentei ligar novamente para ela, liguei tanto, o celular chamava mas ela não atendia.

A minha preocupação só aumentava cada vez mais, queria procurar ela pela cidade, mas já era tarde demais.

Em alguns instantes eu adormeci, sonhava que ela havia ligado para mim, e que não tinha que me preocupar com mais nada.

Quando eu dispertei era apenas um sonho bonito, mas com uma realidade feia.

Liguei para a sua casa quem atendeu foi a mãe dela, dizendo que a Micaela não estava em casa.

Perguntei para onde ela estava e ela respondeu que estava em casa da sua amiga Leila.

Liguei para a Leila e ela disse que não estava com a Micaela, as lágrimas começaram a cair de novo.

5h da manhã o meu celular toca e finalmente era a Micaela, eu fiquei todo ansioso para atender o celular, atendi o celular mas ela não respondia.

Afinal ela havia ligado por engano, o dedo tocou no celular sem querer.

Eu não desliguei o celular, lá no fundo ouvia alguém a dizer:

– Meu amor oque você achou da nossa noite?

E ela respondeu:

– Gostei foi tão bom.

– Então já terminou com o Carlos?

Ela: Ainda, mas vou falar com ele amanhã.

Desliguei o celular, as lágrimas começaram a cair novamente, eu chorava baixinho sem que ninguém notasse.

Naquela madrugada chorei muito porque havia perdido o meu amor para outro cara.

As 6h, fui para a cozinha peguei um copo de leite tomei e fui para o meu quarto, os meus pais se perguntando oque se passava e eu não respondia nada.

Quando já eram 12h45, a Micaela liga pra mim, dizendo pra agente se encontrar no local de sempre.

Peguei na chave da minha moto, e fui ao encontro dela, mesmo sabendo o que ela ia me dizer, fui para lá.

Chegando lá ela terminou comigo, não falei absolutamente nada, levante e fui-me embora.

Passei noites chorando pelo amor da minha vida, eu amava tanto ela, eu trocaria montão de coisa para ter ela de volta.

2 meses depois, eu conheci a Margot uma garota super linda, carismática e inteligente.

Agente foi para uma pizzaria, chegando lá agente pediu pizza e de repente aparece a Micaela juntamente com a Leila.

Mas eu não tinha visto ela.

Ela sentou-se e a Leila logo viu-me e disse:

– Olha aquele não é o Ethan?

A Micaela olhou para mim e começou a lacrimejar. E em seguida a Leila disse:

– Amiga vamos embora.

Levantaram e foram-se embora, e eu fiquei lá a conversar com a Margot.

Chegando em casa o meu Celular toca, era a Micaela mandando mensagem.

– Amor tenho saudades..

Eu: Também tinha tantas, pena que virou lembranças.

– Amor vamos voltar, por favor.

Eu: Não posso.

– Porque? Amor

Eu: Estou em outra.

Em seguida desliguei o meu celular e fui ter com a Margot o meu novo amor.

Obs: Valoriza oque tens hoje para amanhã não se tornar saudades.

Abiúd Nathan

Jovem demais

Na minha cidade não havia falsidade, desentendimento e nem conflito.

Tudo que eu fazia os meus pais diziam que ainda era muito jovem para tal.

Eu queria sair de casa poder me sustentar sozinho, casar e ter a minha própria família.

Mas os meus pais achavam que eu era jovem de mais.

Queria ser independente, queria viver a vontade e não como prisioneiro.

Eu queria me apaixonar de novo, eu queria gritar para os quatro cantos da minha casa, queria bagunça-la.

O que eu queria apenas era ter o meu próprio cantinho.

Na verdade a minha vida mudou depois de eu conhecer Abriela.

Uma menina carismática, sonhadora e com muitos planos pela vida.

Eu passava pela sua rua quando ia para a Universidade.

Sem querer eu atropelei ela, com o meu carro.

No momento não sabia mais o que fazer se é que descia ou ficava dentro do carro.

Logo em seguida quando as pessoas viam se aproximando, eu a segurei nos meus braços e meti-lá no carro e a levei imediatamente ao hospital.

Chegando lá, ela recebeu os primeiros socorros, eu fiquei desesperado e não havia contado pra ninguém o que havia acontecido.

O meu medo me metia fraco, pensativo, incomodado e triste.

Logo em seguida o Doutor apareceu e perguntou se eu era o que dela, sem pensar disse que era namorado dela.

Então não havia acontecido nada de grave só tinha torcido a perna.

Com medo levei ela para o meu esconderijo, numa cabana bem distante da cidade.

Passei a cuidar dela, alimentava ela, dava banho, carinho, aconchego e tudo que ela precisa.

O medo ia passando, e comecei a sentir afeto por ela, já não queria que ela saísse do meu lado.

Os pais preocupados com a jovem sem saber o seu paradeiro fora a polícia, meteram anúncios no jornal.

Todos pensavam que eu havia matado ela, e os meus pais já decepcionado comigo só diziam:

– Ele é jovem demais.

A minha mãe não se aguentava mais, pensado que havia lhes causado uma grande dor.

Uma semana depois a moça se recupera totalmente, pegou no meu rosto, minha cabeça, meus lábios.

Eu pensando que iria arrancar a minha cabeça, ela me rouba um beijo e um abraço forte e sussurrou baixinho nos meus ouvidos:

– Obrigada por teres me salvo e por entrares na minha vida.

Tudo que ela falava combinava, rimava, cantava, escrevia, sorria, lacrimejava e eu me encantava.

Afinal de contas ela era uma poetisa bem sucedida e eu não sabia.

Em seguida levei ela para casa, o pai dela veio em cima de mim batendo-me e me espancando feio.

Ela tanto que pedio para o seu pai não fazer aquilo, mas ele renunciava, levaram ela pra dentro e mandaram-me desaparecer da sua vida.

Ela chorava, e eu não me aguentava mais.

Fui para casa, mesmo assim os meus pais não me queriam mais lá, me senti tão mal.

Peguei nas minhas coisas e fui-me embora, sem deixar endereço muito menos dar notícias.

Durante algumas semanas os meus pais ficaram preocupados comigo e se arrependeram com o que haviam feito.

Abriela decide sair de casa, e foi a minha procura, só ela sabia onde me encontrar.

Pois, foi até a cabana, me encontrou a cozinhar me abraçou de trás e disse-me:

Você quase me matou e mesmo assim me salvou, para onde você for eu também irei.

Eu abracei ela forte, beijei, e passamos a viver juntos, nos casamos clandestinamente, e não me considero jovem demais para ter o meu sonho realizado.

Obs: Ame sem limites, não espere envelhecer para correr atrás do seu sonho, se der para correr já, corra.

Abiúd Nathan

A fértil imaginação

Com as lágrimas escorrendo no rosto da minha imaginação, com o medo que assolava as pessoas por causa da sua história.

As pessoas já não queriam saber de nenhuma história, elas achavam que eu tinha uma fértil imaginação.

Somente eu sabia, somente eu vivia, e somente eu tinha a noção de como era lindo a minha imaginação.

A floresta encantava, as plantas flutuavam, as folhas brilhavam, as gotas de água escorriam para o seu caule.

Mas ninguém acreditava no que eu falava, eu falava, eu chorava, ficava sem ánimo porque ninguém me levava a sério.

Olhava para a brisa da minha imaginação, para o seu encanto, sua estrutura e as suas folhas caírem.

Na minha imaginação tudo era real, tudo era lindo, fascinante, emociante.

As plantas se moviam, as águas escorriam, mas a sua beleza permanecia.

Tão linda tu és, só por te olhar eu chorava, eu gritava, eu me encantava, me entristecia ao mesmo tempo porque ninguém acreditava que você existia.

Eu falava da sua alma, da sua doce tentação, do seu florescer.

As suas fibras eram fortes como as correntes que prendem um homem, como um metal, como o arame e como o chumbo derretido no lume.

Brilha, brilha que a noite vem aí, precisava tocar o seu corpo, apreciar o seu olhar até amanhecer.

Pode ninguém acreditar numa beledade e rica imaginação que tu és?

No primeiro instante me encantei, na primeira vista me apaixonei.

Eras bela, linda, charmosa, chamativa, brilhante, encantadora .

Mesmo que ninguém acreditava na sua existência, eu estava aí para você, não me apartava de você por nada.

Brilha, brilha Oh fértil imaginação.

Amor de novela

A minha garota das cenas de romance, aquela que não piscava os olhos para ninguém.

Chata, ciumenta, carinhosa, amor de novela…era assim que eu a chamava.

Ela era a minha pessoa predileta, o motivo dos meus sorrisos, da minha alegria, do meu bom senço de humor.

Minha menina dos olhos azulados, dos lábios rosados, dos encantos amarelados, dos cabelos molhados, dos toques encantados.

Os seus encantos chamavam atenção, a sua postura de menina moça me alegrava.

Seu carisma, sua inteligência, sua simplicidade, sua maturidade, suas brincadeiras, era tudo que eu precisava nela.

Eu era louco das suas histórias, suas risadas, suas maluquices, suas babuseiras.

Aquele sotaque lindo que suava da sua boca, aquele brilho nos seus olhos, aquela mania de ajudar as pessoas, de tirar as palavras da minha boca.

Trocar você por alguém? Jamais eras o meu doce de banana com canela.

Eu ficava sem jeito quando me chamavas meu bombom recheado.

Era tão lindo estar com você na chuva, cada gota de água que caia, você me apertava ainda mais, me beijavas sem receio, me olhavas como se não tivesse amanhã.

Não me canso amar você, de pôr você a dormir, você chorava por nada, eras tão sensível, macia.

Exuberante era a sua beleza, o seu cabelo, a sua boca, o seu entender, o seu falar, o seu admirar, até o seu dormir.

Eu ficava olhando para você, tão linda e fazia cafuné enquanto dormias.

Queria mergulhar nos seus sonhos para saber o que sonhavas, se era comigo e agente casando.

Meu amor de novela, minha cozinheira, minha pasteleira, minha escritora de dramas, suspense e romance.

O meu maior medo era se um dia me deixasses só, se desistisses de mim, do nosso amor, da nossa história e do nosso romance.

Ainda bem que se tornaste a minha esposa, minha parceira, minha mulher…meu amor de novela.

Agente saia pelas ruas de mãos dadas, comiamos gelados, algodão doce e pipoca.

Era tudo tão lindo, fascinante, o nosso namoro dava inveja, era motivo de superação de outros relacionamentos.

Eu te chamava pra sair aos sábados, porque não tinhas que ir a universidade, era os nossos dias de ficarmos juntos, de fazermos as coisas juntos, de comermos juntos, cantar juntos e tocar juntos.

A primeira vez que fiz serenata, a sua mãe me atirou com montão de coisa, tudo isso pelo meu amor de novela.

Obs: Quando se gosta de verdade, a gente deve correr atrás do amor da nossa vida, se deixares ela/e ir, vai aparecer alguém e vai levar o amor da sua vida embora, pense nisso.

Abiúd Nathan

O desejo de vencer

Hoje era um dos meus dias prediletos.

No outono passado, ensaei muito para a prova, me dediquei bastante e me esforcei pra ganhar o concurso.

A convicção tomava conta de mim, eu me imaginava já no final da prova prestes a vencer.

Gostava tanto dessa imaginação, só me deixava mais forte.

O desejo de vencer ocupava o espaço todo na minha mente, passava o dia inteiro treinando.

Tomei montão de vitaminas pra ver se me ajudava no treinamento.

Não me cansava de treinar, já não tinha tempo pra nada, nem ligava mais a minha baby.

Ansiedade matava todos os pensamentos relacionado às outras coisas.

Estava tão ansioso com o dia da prova, todos os dias em que me levantava, olhava para o calendário pra ver quantos dias faltavam para a prova.

Os dias iam se aproximando e o meu desejo de vencer era ainda maior, não parava de treinar por nada.

Não comia mais como antes, só precisava de algumas frutas e um sumo natural de maracujá que era o meu predileto.

Por dia eu tomava dois pacotes de sumo e toda sexta de fruta, eu devorava como um monstro, tudo isso por causa da prova.

Acordava as 5h ia pra piscina treinar, dava o meu melhor no treino, mas mesmo assim achava aquilo muito pouco.

Queria chegar até a meta, queria realizar o meu sonho.

Eu corria atrás deles, não metia limite aos meus pensamentos e nem aos meus treinos.

Já era meia noite e meu celular chama, era a minha namorada desejando forças para a prova no sábado.

Logo na noite de sexta feira não pegava no sono, ansiedade tomava conta de mim, tudo isso por causa do concurso.

Eu contava os minutos, olhava para o ponteiro, mas a hora não passa depressa.

Acordei às 3h da manhã, assisti alguns vídeos motivacionais, li alguns livros sobre natação.

Investiguei a vida de muitos nadadores profissionais.

Procurei saber mais sobre como eles venceram os maiores concursos de natação.

Descobri montão de coisas que eu não sabia, coisas que me deixaram muito pensativo, até ao ponto de me emocionar ainda mais.

Tinha que ter mais calma, não tinha que deixar a ansiedade tomar conta de mim, tinha que ser mais confiante e positivo.

O Sábado chegou e me preparei logo pra ir até ao concurso.

Não quiz tomar o pequeno almoço, apenas comi uma laranja e fui-me embora.

Os meus pais e a minha namorada foram até ao meu encontro no concurso.

A gente já estava pronto pra começar com o concurso.

Eu parei, olhei pra a plateia, pra a minha mãe, para o meu pai, meus irmãos e para a minha namorada.

Eu pensei e disse baixinho:

– Eu tenho medo de não ganhar o concurso.

Naquele momento a minha positividade, minha convicção, meu ego, minhas forças, se foram.

Já não me sentia capaz de continuar no concurso, tirei o boné, meti a toalha e fui pra o balneário, o treinador seguiu-me até lá.

Perguntou-me o que se passava e eu disse que já não tinha forças para continuar no concurso.

Ele insistia que eu continuasse, mas nem com isso aceite.

Logo em seguida a minha namorada apareceu e disse:

– Vais desistir agora? Vais deixar o medo te comandar? Vença o seu medo, você vai conseguir, você pode.

As palavras da minha da minha namorada entraram na minha mente, mergulhando nos meus olhos já estavam cheios de lágrimas.

Logo veio as imagens dos vídeos motivacionais, e dos livros que li ontem sobre o desejo de vencer.

Levantei-me e disse:

– Vamos lá ganhar o concurso.

Eu entrei na sala onde se passava o concurso.

Logo depois em seguida o concurso começou.

Todo mundo aplaudia, minha família me apoiava, gritava pelo meu nome, eu nadava, nadava e nadava sem cessar.

Quando menos assustei, já havia feito 10 voltas, e eu já havia ganho o concurso.

Não acreditava que tinha ganho o concurso, tudo aquilo parecia um sonho, mas era a verdadeira realidade.

Eu venci, eu ganhei, eu insisti, eu precisti, eu sonhei, chorei, realizei e hoje eu sou um vencedor.

Obs: ” Não existe quem desiste, só existe quem insiste para não desistir”

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora